Por uma universidade e uma educação crítica, criadora e popular! | Juventude Comunista Avançando

quinta-feira, 24 de maio de 2012

Por uma universidade e uma educação crítica, criadora e popular!

Nota da JCA em apoio a luta dos estudantes secundaristas pela manutenção do cursinho pré-vestibular da UFSC
Estudantes do Instituto Estadual de Educação se manifestam em defesa do cursinho pré-vestibular gratuito


A Juventude Comunista Avançando – JCA saúda os secundaristas em luta, e se soma na defesa da manutenção e ampliação do cursinho pré-vestibular da UFSC. É muito importante que os estudantes fortaleçam a sua organização constituindo grêmios estudantis que possam reivindicar os direitos de modo permanente e garantindo um espaço independente de auto-organização estudantil.

Todos os atuais ataques à educação pública fazem parte de um projeto maior imposto pelas classes dominantes, buscando cada vez mais precarizar e privatizar a educação em nosso país. Tanto o governo federal quanto o estadual implementam esse mesmo projeto. Somente um movimento estudantil autônomo, combativo e construído “de baixo pra cima” poderá ter vitórias na defesa da educação pública, gratuita a serviço dos anseios do povo brasileiro.

O cursinho pré-vestibular da UFSC foi criado em 2003, a partir de 2008, o governo estadual entrou no projeto. Até então o cursinho era restrito à grande Florianópolis, mas com a parceria da secretaria da educação do estado ele se expandiu. Hoje, o pré-vestibular da UFSC possui 31 unidades, em 29 municípios. Desde sua criação, o cursinho conseguiu promover o ingresso de 7.000 estudantes nas Instituições Públicas de Ensino Superior existentes no estado.

Nesse ano, o cursinho não começou na data prevista (abril), pois o estado não deu continuidade na sua parceria, ou, pelo menos ameaça não dar. Se o estado catarinense decidir não levar adiante com a sua parceria, os estudantes catarinenses do ensino público serão seriamente afetados. Isso porque a UFSC não tem condições de levar adiante esse projeto sem contar com a ajuda do estado. Hoje, a verba que está destinada ao cursinho por parte do estado catarinense é de 3 milhões de reais, incluindo: professores de cursinho (profissionais formados), infraestrutura (escolas públicas), material didático (apostilas), acompanhamento (psicólogos) e transporte para os aulões realizados na capital. Tudo isso é oferecido gratuitamente pelo cursinho, desde o início até o fim. Sem a ajuda do estado, no máximo, a UFSC conseguiria manter o cursinho - tal como ele é realizado -, somente nos campi de Florianópolis, Curitibanos, Joinville e Araranguá.

Para entrar no cursinho, os estudantes precisam ser oriundos da escola pública, tendo cursado todo o segundo grau nelas. Segundo os responsáveis da UFSC pelo cursinho, o número de matriculas do cursinho é de 3.100, mas o número de beneficiados por é de aproximadamente 5.000. Isso com as entradas e saídas de estudantes, com os aulões e etc.

Os dados do cursinho, referentes a 2011, apontam para o sucesso do mesmo. Dos 899 estudantes de escola pública aprovados no vestibular da UFSC, 641 fizeram o cursinho. Isso significa que, das 1.200 vagas existentes para as cotas, somente 899 foram preenchidas. Desse total de estudantes que passaram, 72% são oriundos do cursinho pré-vestibular da UFSC. No entanto, 299 vagas para “cotistas” não foram preenchidas. Agora, imaginem o que acontecerá se esse cursinho pré-vestibular acabar! Provavelmente, o número de estudantes “cotistas” ou oriundos da escola pública que conseguem entrar na UFSC diminuirá. Já que do total de vagas existentes na UFSC, 20% são para as cotas de estudantes de escolas públicas e 10% para cotas raciais. 

Não há dúvida de que manutenção do cursinho pré-vestibular da UFSC é fundamental para todos aqueles que querem estudar e entrar numa Universidade Pública, sem ter que pagar – ou se endividar para – fazer um cursinho privado. A luta para que a universidade e a educação como um todo esteja a serviço do povo brasileiro e não de interesses privados das oligarquias é uma luta de todos nós, onde precisamos ter um projeto claro de educação “para além do capital”, para que todas essas nossas reivindicações – como a ampliação do acesso a universidade – caminhem no rumo da construção de um novo projeto de universidade e de sociedade.                                                                  

Juventude Comunista Avançando - Florianópolis

Contato: jca@cclcp.org