Duas notícias: jovens combatem a fascistização na Europa | Juventude Comunista Avançando

quarta-feira, 6 de junho de 2012

Duas notícias: jovens combatem a fascistização na Europa

Gerência Putin: repressão aos movimentos populares

Russos ignoram lei arbitrária e mantêm protestos

Por Rafael Gomes Penelas [A Nova Democracia]

Nesta terça-feira, 5 de junho, centenas de pessoas foram para a frente do Parlamento, na capital Moscou, em uma manifestação exigindo o direito de protestar. A Câmara dos Deputados da Rússia deve aprovar uma lei fascista que irá punir, com altas multas, os manifestantes que descumpram as ‘normas’ de realização de atos públicos.

As “autoridades” russas decidiram por tal lei após as intensas manifestações que foram realizadas no país contra o gerente Vladimir Putin, temendo a adesão ainda mais massiva da população aos protestos. Já foram aprovadas em primeira instância multas de até 100 mil para os organizadores das passeatas e de 66 mil para os ativistas que descumpram as normas.

Em outra manifestação realizada em 31 de maio, mais de 100 pessoas foram presas pela polícia no centro de Moscou durante um protesto não autorizado pelo governo. Centenas de pessoas se reuniram na praça Triumfálnaya sustentando a palavra de ordem: ” Por uma Rússia sem Putin”. O local foi cercado pela polícia, que enviou cerca de 30 veículos e um ônibus.

Na segunda maior cidade da Rússia, São Petesburgo, também no dia 31, várias pessoas foram presas por manifestarem-se sem a autorização da prefeitura.

O presidente da Duma (Câmara dos Deputados), Sergei Narishkin, antecipou que a nova lei será aprovada antes do próximo grande protesto da oposição, previsto para o dia 12 de junho.

Fonte: http://anovademocracia.com.br/blog/



Jovens alemães interrompem desfile fascista

Militantes de organizações populares
da Alemanha ergueram barricadas
para impedir desfile fascista
[A Nova Democracia] Neste sábado, 2 de junho, cerca de 3500 pessoas se reuniram em Hamburgo, no norte da Alemanha, para impedir um desfile convocado por grupos de extrema-direita que atuam no país.

Os jovens antifascistas ergueram barricadas e atearam fogo em objetos nas ruas onde passaria o desfile. Pedras e garrafas foram atiradas contra os neonazistas que, segundo os manifestantes, são responsáveis por dezenas de casos de agressões contra negros e imigrantes que vivem na Alemanha.

Os antifascistas, além de enfrentar os grupos de direita, também entraram em choque com a polícia, que interviu com mais de mil agentes, canhões d’água e um helicóptero. 700 pessoas foram detidas. Cerca de 38 policiais ficaram feridos.

Segundo a Associated Press, em outro ponto da cidade, mais 10 mil pessoas participaram de uma marcha contra o movimento neonazista.