Milhares de pessoas protestam contra irregularidades na eleição presidencial mexicana | Juventude Comunista Avançando

segunda-feira, 9 de julho de 2012

Milhares de pessoas protestam contra irregularidades na eleição presidencial mexicana

México - Opera Mundi - Diversas denúncias de compra de votos e de propaganda irregular foram divulgadas por parte da imprensa.

Milhares de mexicanos saíram às ruas no sábado (07/07) para protestar contra Enrique Peña Nieto, do PRI (Partido Revolucionário Institucional), que ganhou as eleições presidenciais do domingo passado. Eles marcharam pela avenida Paseo de la Reforma rumo ao Zócalo, a principal praça pública da capital do México.

Os manifestantes saíram do monumento do Ángel de la Independencia com gritos de "fraude, fraude, fraude", "Andrés, aguenta, o povo se levanta" e "povo, escuta, esta é tua luta", em apoio ao candidato presidencial da esquerda, Andrés Manuel López Obrador.

Segundo os dados finais do cômputo oficial divulgados na sexta-feira, Peña Nieto ganhou as eleições com 38,21% dos votos, uma vitória que, no entanto, foi denegrida por denúncias de compra de votos em massa. A manifestação foi convocada através das redes sociais e foi denominada "Marcha contra a Imposição".

O movimento estudantil YoSoy132, que surgiu contra a figura de Peña Nieto, esclareceu que eles não convocaram esta mobilização. Além disso, em outras cidades do México, foram registradas diversas mobilizações contra os resultados eleitorais.


Irregularidades


Das denúncias recebidas de todo o país, foi computado que 46% delas se referiam a compra de votos; 30% a irregularidades nos colégios eleitorais; 19% relacionadas com propaganda, apesar do veto, assim como casos isolados de carreatas, indicou o movimento.

Desde o início dessa semana, crescem evidências que confirmam as fraudes denunciadas pelo #YoSoy132 e o envolvimento da coalização de Enrique Peña Nieto nas irregularidades encontradas.

Centenas de mexicanos contaram na terça-feira (04/07) que o PRI comprou seus votos com cartões pré-pagos da rede de lojas de departamento Soriana, apuraram jornais locais.

Com medo de que o crédito fosse cancelado com o anúncio dos resultados eleitorais, os eleitores lotaram as lojas para gastar o crédito, que ia de 100 (15 reais) a 700 (106 reais) pesos. "Disseram que iam cancelar os cartões. Estão nos intimidando porque nós já votamos", relatou um mexicano ao jornal local La Jornada.