Milhões de cubanos às urnas em eleições municipais | Juventude Comunista Avançando

domingo, 21 de outubro de 2012

Milhões de cubanos às urnas em eleições municipais

Havana, 21 out (Prensa Latina) Mais de oito milhões de cubanos estão convocados hoje às urnas para eleger por voto livre e secreto a 14 mil 537 vereadores durante a primeira fase das eleições gerais na ilha.

Mais:

Mais imagens em: FotosPL

Desse modo, os eleitores selecionarão àquelas pessoas que os representarão por um período de dois anos e meio nas 168 Assembléias Municipais do Poder Popular existentes no país.

Ante as mais de 32 mil propostas derivadas das reuniões de vizinhos efetuadas de 3 a 29 de setembro, os votantes deverão definir em cada distrito eleitoral ou circunscrição suas preferências pelo candidato que considerem mais capaz, a partir de seus méritos pessoais e trajetória.

De acordo com a Comissão Eleitoral Nacional (CEN), mais de 29 mil 500 colégios eleitorais abrirão suas portas em toda a ilha e acolherão as urnas que serão custodiadas -como é tradição aqui- por estudantes dos ensinos primário e secundário.

Em sua convocação à população a manter a tradicional participação nas eleições, o secretário da CEN, Rubén Pérez, recordou que os centros de votação abrirão de 07:00 hora local (11:00 GMT) às 18:00 (22:00 GMT).

Segundo o servidor público, ao finalizar o sufragio se realizará um escrutínio público, ou seja, se contarão os votos obtidos por cada um dos nomeados à vista de todos os eleitores que queiram presenciar a contagem.

Uma vez concluído este passo, se procederá imediatamente à publicação dos resultados, para que os eleitores conheçam quantos votos obteve a cada um dos candidatos e quem foi eleito, acrescentou Pérez.

Se em alguma circunscrição ninguém obtém mais de 50 por cento dos sufrágios válidos, se recorrerá então a um segundo turno, no domingo, 28 de outubro.

De acordo com a Lei Eleitoral, todos os cubanos maiores de 16 anos poderão exercer seu direito cidadão ao voto nas eleições gerais, convocadas para eleger os delegados às assembléias municipais e provinciais do Poder Popular e aos deputados do Parlamento.

A norma só inabilita aos sancionados juridicamente e os incapacitados mentais.

rc/jha/ccModificado el ( domingo, 21 de octubre de 2012 )