Gagarin, há 52 anos, o primeiro homem foi ao cosmos | Juventude Comunista Avançando

sexta-feira, 12 de abril de 2013

Gagarin, há 52 anos, o primeiro homem foi ao cosmos

Texto relativo à comemoração de 50 anos do feito
Lá vamos!

EM 12 de abril se completa meio século da primeira ocasião em que um homem se afastou de nossa Mãe Terra se adentrando no espaço: o soviético Yuri Gagarin, quem faltando poucos minutos para empreender o primeiro voo ao cosmos, em 1961, expressou: "Poyejali!, isto é "Lá vamos".

Yuri Gagarin, com apenas 27 anos, foi o primeiro homem na história que voou ao cosmos.

Este homem ficou para a eternidade como o primeiro que viu o planeta do espaço, o voo de Gagarin foi o início de uma nova era.

Após um extenso período de treinamento que pôs à prova sua resistência física e psicológica, o jovem de 27 anos abria a rota, sempre desejada, rumo às estrelas, e conseguia a façanha de retornar com vida do espaço exterior.

Em 27 de março de 1968, fez seu último voo, em um caça de combate Mig-15, morrendo em um lamentável acidente.

Seu exemplo iluminará os voos do homem a outros planetas, e o caminho para tornar realidade a frase que proferiu durante aquela viagem: "Povoadores do mundo, salvaguardemos esta beleza, não a destruamos". (Com o Granma)

Outros feitos da tecnologia soviética

O vôo espacial histórico de Yuri Gagarin em 12 de abril de 1961 foi um dos muitos feitos recordes para o programa espacial soviético, que poderíamos considerar começou com o primeiro satélite (Sputnik, 1957) e o primeiro lançamento de um ICBM (R7 Semyorka, 1957). O primeiro animal no espaço seguiu: Laika (1957). Dois anos depois veio o primeiro foguete em órbita da Lua, Luna 1 e a primeira chegada à Lua (Luna 2).

A primeira transmissão de telemetria do espaço também ocorreu em 1959. No mesmo ano, a União Soviética enviou o primeiro foguete para passar a Lua e o primeiro objeto a entrar em órbita solar (Luna 1). No mesmo ano, as primeiras fotos do lado escuro da Lua foram tomadas (Luna 3).

Em 1960, dois cachorros, Belka e Strelka, retornaram à Terra depois de órbita (Sputnik 5). Em seguida, houve a primeira sonda a Marte (1960, Marsnik 1). No ano seguinte, a primeira sonda a chegar a Vénus (Venera 1).

Portanto, quando Yuri Gagarin (Vostok 1, 1961) tornou-se o primeiro ser humano a entrar no espaço este foi mais um feito heróico e inovador, no programa pioneiro científico em que a URSS abriu caminho para seus irmãos na comunidade internacional.

Gherman Titov no mesmo ano foi o primeiro homem a passar um dia no espaço e dormir no espaço. Em 1963, Valentina Tereshkova foi a primeira mulher a entrar no cosmos - a primeira cosmonauta.

Seguiu-se a primeira caminhada espacial (Aleksei Leonov, 1965), o primeiro objeto na superfície de Vênus, 1965 (Venera 3). 1966, Luna 9 foi o primeiro objeto a fazer contato com a Lua e fazer uma transferência. Primeira órbita lunar, em 1966.

Primeira acoplagem no espaço, não tripulado (Cosmos 186/188), em 1967. Curiosamente, os EUA só conseguiram imitar este feito em 2006. 1969, o programa espacial soviético registou o primeiro vôo tripulado com acto de ancoragem e a troca de tripulações. As primeiras amostras da Lua foram enviadas por Luna 16 em 1970. O primeiro robô na Lua foi em 1970 (Lunokhod 1). No ano seguinte, os primeiros dados recebidos da superfície de outro planeta, Vênus.

A lista não pára aqui. A primeira estação espacial (Salyut 1, 1971), seguido pelo Mir e com o grande número de recordes quebrados por esse precursor da EEI. 1971, a primeira sonda a chegar à superfície de Marte (Mars 2). 1975, primeiras fotos da superfície de Vênus. 1984, a primeira mulher a caminhar no espaço, Svetlana Savitskaya. 1986: pela primeira vez tripulantes visitaram duas estações (russas) de espaço, Salyut e Mir.

Porque o ser humano vai sempre ser muito mais importante do que qualquer máquina, a heróica vitória de Yuri Gagarin cinqüenta anos atrás deve servir como a referência mais importante na história das viagens espaciais e permanecerá nos anais da história da exploração espacial como o início da relação do ser humano com o Cosmos. Mais importante, fornece um excelente exemplo de aquilo que pode e deve tornar-se um marco unificador que abre a porta para a cooperação pacífica entre a Rússia e seus parceiros na comunidade internacional. Se a União Soviética poderia fazer tanto sozinha, então, certamente, juntos, poderemos fazer muito mais. (Com Granma/Voz da Rússia/Pravda Rus/Ria Novosti/Divulgação)