Transporte Público de Porto Alegre: Sobre a conquista nas ruas e o desafio de manter-se nelas! | Juventude Comunista Avançando

sexta-feira, 26 de abril de 2013

Transporte Público de Porto Alegre: Sobre a conquista nas ruas e o desafio de manter-se nelas!

Foto: Ramiro Furquim/Sul21
Foram algumas negociações entre fantoches do poder público e empresários, até que concretamente os donos do transporte público de Porto Alegre decidissem aumentar o preço da passagem para R$ 3,05.

A partir dai, os ensaios reais de saídas às ruas por parte, em grande maioria, de estudantes, avançou da característica informativa para um caráter imbuído de informação, mas que ganhou um saldo material no questionamento sob o estado das coisas. São tantos os porquês em torno de um direito legítimo, que salta à questão do transporte ingredientes muito importantes para o momento que Porto Alegre vive e viverá nos próximos tempos.

Presenciamos nos meses de março e abril, os resultados do efetivo e constante assalto ao bolso do trabalhador de Porto Alegre e região metropolitana. Assim como o resultado do trabalho de formiga operária de muitos grupos e organizações políticas e demais militantes sociais. Combinados estes dois componentes, aliado ao espontâneo das mobilizações e também aos chamados, via redes sociais, originou-se a faísca necessária para acender o pavio, cuja chama o país já pode perceber, via grande mídia manipuladora, mas principalmente via mídia alternativa, ou seja, pela internet tanto em forma escrita quanto por audiovisual.

Existe um sentimento comum nesses fins de tarde, sentimento que nasce ao crepúsculo, que coincide com o inicio da maioria dos atos públicos realizados desde janeiro. E esse sentimento reverbera também durante os dias que antecedem a próxima data de ato, um grito muito escutado, é em coro dito, “Amanhã vai ser MAIOR!!!”

Uma parcela do povo da metrópole se sente a vontade nas ruas. Já obteve uma conquista parcial – R$ 2,85 é o preço que se conquistou nas ruas - mas esta mesma conquista já sofre ameaça, e se assim for, devido a irracionalidade dos empresários sedentos por lucro, teremos um retorno ao preço de R$ 3,05.

Infelizmente não somos os únicos a trabalhar na história. O Estado democrático de direito é intrinsicamente repressor! E seus braços operantes de maneira efetiva, violenta e inteligente tem uma investida clara para desbaratar este processo de lutas que Porto Alegre vive.

Como disse em relato o camarada cartunista Carlos Latuff , em vídeo que segue.

“As pessoas têm que continuar mobilizadas!”

A juventude comunista avançando – JCA - trabalha e acredita na fortificação desta importante questão social que hoje o povo de Porto Alegre experimenta, mas sabemos e estamos atentos que em outras cidades e capitais do Brasil também se experimenta e faz-se manifesta tal questão.

25/04/13, Porto Alegre.
Ricardo Mincarone