O CC do KKE organizou uma Conferência Científica de dois dias sobre Bertolt Brecht | Juventude Comunista Avançando

quinta-feira, 30 de maio de 2013

O CC do KKE organizou uma Conferência Científica de dois dias sobre Bertolt Brecht

A Conferência Científica de dois dias organizada pelo CC do KKE sobre o destacado intelectual, dramaturgo, poeta e diretor teatral, Bertolt Brecht, terminou no domingo à tarde (28/4). O SG do CC do KKE, Dimitris Koutsoumpas, fez um discurso de saudação à conferência, assim como o Secretário do CC da KNE[1], Theodoris Chionis. A Conferência realizouse em Atenas, na repleta sala de conferências do CC do KKE. Durante os meses anteriores, o CC do KKE organizou um rico programa de atividades, com produções teatrais e exibição de filmes de obras de B. Brecht a que assistiram milhares de trabalhadores, que entraram em contacto com o importante trabalho do comunista alemão, escritor, poeta e dramaturgo.

No se discurso de saudação, o SG do CC do KKE, D. Koutsoumpas observou, entre outras coisas: “Nos últimos anos, iniciámos este esforço para organizar conferências científicas, dedicadas ao trabalho e personalidade dos grandes e pioneiros intelectuaisartistas, como Giannis Ritsos e Kostas Varnalis. Este ano, estamos a dar um passo ousado –caracterizáloia como um salto – ao dedicar a Conferência a Bertolt Brecht, o maior dramaturgo do século 20, diretor, poeta e intelectual, politicamente comprometido com a causa da libertação do mundo da exploração do homem pelo homem. Brecht foi um grande intelectual comunista, um artista multitalentoso. Ele aplicou toda a sua força, concentrandose sobre os problemas da humanidade, para mostrar – através do seu trabalho – o caminho da libertação do homem da exploração de classe e da guerra como uma das formas desta exploração (...) Brecht, comprometido com a luta, exibiu uma coragem única; a coragem de colocar a política na arte, a política como um elemento integral da arte e viceversa.”

Os discursos de abertura e encerramento da conferência científica foram feitos por Eleni Miliaronikolaki, membro do CC do KKE, responsável pela Secção Cultural do CC, tendo como tema: “Bertolt Brecht, sobre as coisas simples que só são realizadas com dificuldade”. A fechar os trabalhos da Conferência, Eleni Miliaronikolaki destacou que o compromisso do partido com Brecht não termina com esta conferência; pelo contrário, está precisamente a começar. Observou que Brecht é um poeta da dialética e mostrou a necessidade de nos envolvermos profundamente com ele, algo que é um dos objetivos para o próximo período. Disse que Brecht deve atingir a sua verdadeira audiência, a classe operária e as camadas populares e, assim, as organizações de massas, os sindicatos e as associações de estudantes devem ter um papel ativo, bem como os artistas criativos, que devem contribuir decisivamente para este esforço. Sublinhou a necessidade de um ainda maior número das suas obras ser traduzido para o grego. Mencionou também que o material da conferência, com todos os discursos, será incluído na publicação de um livro especial. Finalmente, referiu que o esforço do KKE, que já começou com conferências científicas, terá continuidade e anunciou que a próxima conferência será dedicada a Nazim Hikmet.

Diretores gregos, atores, cantores, professores universitários, investigadores e educadores participaram na conferência com discursos e intervenções. Uma entrevista com Manfred Wekwerth, um colaborador de Brecht, diretor artístico do “Berliner Ensemble” e presidente da Academia de Artes da exRDA, foi especialmente filmada para a conferência. Além disso, Werner Seppmann, doutor em sociologia, autor, e que foi durante muitos anos editor da revista teórica “Marxistische Blatter” e Erich Schaffner, ator, e graduado da Universidade Estadual de Artes e Música de Frankfurt, aluno de Manfred Wekwerth, também participaram. A conferência terminou com a exibição de um filme que incluía dados biográficos e importantes pontos de viragem na vida de Bertolt Brecht, que contribuíram para a formação de sua visão do mundo e personalidade. Também incluía cenas de arquivos históricos, declamações de poesia e canções; foi um esforço de aproximação da visão de Brecht sobre a vida e de como a arte contribui para mudar o mundo. No início dos trabalhos da conferência, o grupo de teatro “Tempos Modernos” executou uma peça de teatro musicado.

[1] KNE: acrónimo grego da organização da juventude do KKE – [NT]