Chile comovido e dividido por imagens inéditas da ditadura | Juventude Comunista Avançando

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Chile comovido e dividido por imagens inéditas da ditadura

A sociedade chilena está impactada e dividida por um programa que mostra, pela primeira vez, imagens da sangrenta ditadura de Pinochet a 40 anos do golpe. O ciclo se chama “Chile, as imagens proibidas”. Assista aos vídeos.

Nunca antes visto en TV. Un material revelador.
À ponto de completar 40 anos do golpe militar que derrubou Salvador Allende e instalou Augusto Pinochet no poder, tem-se mostrado no Chile imagens nunca antes transmitidas na televisão.

O programa se chama “Chile, as imagens proibidas”, que é transmitido por Chilevisión e conduzido pelo ator Benjamin Vicuña. O ciclo mostrou, entre outras coisas, o tiro na cabeça que recebeu um manifestante no meio de um protesto no centro de Santiago, em meados dos anos 80; os violentos protestos que cercaram a visita ao Chile do Papa João Paulo II, em 1987; os gritos de dor de Estela Ortiz, esposa de Manuel Parada, quando lhe confirmam que o seu marido é um dos três comunistas degolados em 1986.

“- Até quando seguirão matando o nosso povo? Até quando permitiremos tanta matança, tantos crimes, tanta tortura, até quando?!” Grita Ortiz fora do Serviço Médico Legal, antes de desaparecer.

Em suas três edições, o programa liderou a audiência no horário nobre, superando as séries de sucesso e sendo o mais comentado nas redes sociais.

Também tem sido motivo de polêmica entre aqueles que ainda defendem a ditadura e a atuação de Pinochet. Pela primeira vez a sociedade chilena tira a sua mordaça na televisão aberta e põe em discussão um tema que mantêm as feridas abertas.

“Chegou a hora de pedir desculpas às vítimas, seus familiares e a sociedade chilena”, disseram os juízes em uma declaração inédita.

É tanto o impacto que tem causado o ciclo que nesta quarta-feira, a Associação dos Magistrados do Poder Judiciário do Chile pediu desculpas pelas omissões cometidas durante a ditadura e exortou a Corte Suprema a assumir a sua responsabilidade por não dar curso a 5.000 recursos de amparo apresentados a favor das vítimas.

Já se passaram 40 anos para se fazer esta catarse coletiva de um regime que deixou um saldo de mais de 3.200 mortos e 38.000 desaparecidos.





Tradução: Juventude Comunista Avançando

Fonte: http://www.infonews.com/2013/09/05/mundo-96175-chile-conmovida-y-dividida-por-imagenes-ineditas-de-la-dictadura.php