A importância das Executivas e Federações de curso na reorganização do ME | Juventude Comunista Avançando

terça-feira, 15 de outubro de 2013

A importância das Executivas e Federações de curso na reorganização do ME

O movimento estudantil de área tem grande potencial para aprofundar o trabalho de base e trazer mais estudantes para a luta. As especificidades de cada curso precisam ser trabalhadas no sentido de fazer a ligação dos debates específicos de área com uma compreensão dos dilemas hoje colocados no contexto da crise estrutural do capital, tendo em vista a necessidade de pautar a construção de uma nova ordem societária.

Trazer, em cada curso, a discussão da formação profissional vinculada com o debate sobre a produção de conhecimento, ciência e tecnologia nas universidades é de fundamental importância. Precisamos questionar o direcionamento do que vem sendo desenvolvido em pesquisa e extensão nas universidades brasileiras, pois a hegemonia dessa produção de conhecimento segue estando a serviço dos grandes monopólios nacionais e internacionais e dos latifúndios. E, como já vimos, seguem sendo impostas novas medidas que aprofundam a privatização do conhecimento e a dependência do País.

Hoje não temos uma entidade estudantil geral a nível nacional que tenha legitimidade nas bases e que organize os estudantes para enfrentar os ataques privatizantes e precarizantes ao ensino superior, pautando a construção de um novo projeto de universidade e de sociedade. A UNE hoje segue reproduzindo um ciclo vicioso que em última instância apenas respalda as políticas do Governo Federal, não fortalece o nível de organização e consciência dos estudantes em suas bases e reforça uma ilusão reformista de que esses projetos impostos por decretos e suas verbas estariam em disputa, sem apontar em nenhum momento a necessidade de se contrapor ao projeto do capital para as universidades com o horizonte da luta por uma Universidade Popular. A possibilidade da UNE ser retomada para a luta vai depender da força de um movimento que a partir das bases seja capaz de derrubar essa cúpula dominante e instituir uma nova dinâmica política na entidade.

A JCA possui um acúmulo de atuação em diferentes Executivas e Federações de curso e atualmente compõe a coordenação nacional da Executiva Nacional dos Estudantes de Serviço Social – ENESSO, sempre buscando contribuir para potencializar o nível de organização, formação e combatividade dessas entidades.

A existência do Fórum das Executivas e Federações de Curso (FENEX) para articular as diferentes Executivas e Federações de curso é importante para fortalecer a unidade do ME, sendo mais uma ferramenta para edificar a sua reorganização “de baixo pra cima”, com o potencial de pautar bandeiras de luta que possam unificar essas entidades a nível nacional. O FENEX, tendo caráter de fórum entre entidades de área, não pode ser confundido com uma entidade geral, enquanto fórum ele deve respeitar a autonomia de cada executiva e federação e buscar aprovar suas pautas por consenso. Consideramos que é necessário que o FENEX fortaleça a unidade das Executivas e Federações na prática, trazendo lutas que, ao mesmo tempo em que resistam aos ataques, de fato disputem na ofensiva a universidade brasileira: pelo aprofundamento da democracia interna nas IES, por produção de conhecimento a serviço do anseios populares, por condições reais de acesso e permanência. Só desse modo a reorganização do ME poderá se vincular com o horizonte histórico da Revolução Socialista e da Universidade Crítica, Criadora e Popular!

Publicado originalmente no JA no. XI