Nota de pesar da Juventude Comunista Avançando (JCA) pelo falecimento de Dom Tomás Balduíno | Juventude Comunista Avançando

terça-feira, 6 de maio de 2014

Nota de pesar da Juventude Comunista Avançando (JCA) pelo falecimento de Dom Tomás Balduíno

Foi com muito pesar que a JCA recebeu neste sábado a notícia do falecimento de dom Tomás Balduíno. Protagonista na luta em defesa dos direitos dos indígenas, da reforma agrária e das causas populares, dom Tomás sempre será fonte de inspiração para toda a juventude que luta por justiça social.

Com um dos Responsáveis pela criação da Comissão Pastoral da Terra (CPT) e do Conselho Indigenista Missionário (CIMI), dom Tomás sempre esteve ao lado dos povos da terra defendendo seus direitos e denunciando os massacres contra os povos indígenas, a violência contra os/as trabalhadores/trabalhadoras rurais, a destruição do meio ambiente e os males causados pelo latifúndio e o agronegócio.

Sempre dizia que os povos tradicionais tinham outro relacionamento com a terra e as águas, e por isso não são levados em consideração pelas políticas, já que o governo se relacionada com a terra do ponto de vista da produção, do agronegócio. 

Defensor árduo do Cerrado, também denunciava o avanço da monocultura pela soja, pela cana-de-açúcar para produção de etanol e pelo eucalipto para produção da celulose, dentre outras. Dizia que mesmo sendo de grande importância para o equilíbrio ecológico do país e da América Latina o Cerrado era um bioma desvalorizado pelo capital, tratado como área de exploração.

Sempre crítico e atento a política do nosso país, considerava o governo Dilma com um continuísmo da política vigente, “um tempo de inverno para o movimento da reforma agrária”. Para ele, durante os anos do governo FHC os movimentos sociais se fortaleceram, pois havia todo o grande capital por trás e assim, se conhecia o adversário. Por isto, a oposição ao governo tucano foi feita mais pelos movimentos sociais do que pelo PT. Ao contrário de FHC o governo petista dialogava como se fosse de igual para igual, assim, mais do que enrolar o PT traiu o compromisso de fazer a reforma agrária, sucateando órgãos como o INCRA e desacelerando as desapropriações.

Durante a ditadura, resistiu ao lado dos perseguidos políticos mesmo após a Igreja Católica Apostólica Romana ter declarado oficialmente o seu apoio ao golpe militar. Acreditava que o golpe de 64 "foi dado para quebrar a espinha dorsal dos trabalhadores rurais, pelo temor que havia na época de que o comunismo entrasse através do campo". 

Para ele, os militantes de esquerda “não eram bandidos, não queriam apenas se saciar de sangue. O objetivo deles era honrar a pátria. Sonhavam com isso desde antes do surgimento da luta armada. Houve assaltos a bancos e tal, mas era um objetivo justo. Era uma luta defensiva. Defender o nosso patrimônio. Defendiam a população”.

Para Dom Tomás o marxismo "não era um dogma, embora alguns o tenham como um dogma", e para "a teologia da libertação ele é útil na análise da realidade, com profundidade. Pois favorece a desentranhar a sociedade de hoje e trazer à tona os seus problemas e suas vinculações políticas e econômicas".

Foi por toda essa sua trajetória de luta que Dom Tomás recebeu vários títulos e honrarias no Brasil e no exterior, e também o respeito e a admiração dos movimentos sociais. Inclusive um título de Doutor Honoris Causas da Universidade Federal de Goiás, proposto pelo Diretório Central dos Estudantes como um reconhecimento do movimento estudantil por sua atuação política e social.

A Juventude Comunista Avançando se sente profundamente entristecida pela perda deste grande lutador dos povos tradicionais e sempre carregará o exemplo de bravura e de compromisso com os oprimidos deixado por dom Tomás Balduíno para todos os jovens. Que sua história de luta sempre venha nos inspirar na busca por uma sociedade cada vez mais justa, tolerante e igualitária.

Juventude Comunista Avançando.
Goiás, maio de 2014.

Foram utilizadas trechos de entrevistas disponíveis em:
http://afinsophia.com/2011/05/16/entrevista-com-dom-tomas-balduino-que-so-quer-uma-sociedade-justa-que-respeite-os-diretos-dos-povos-da-terra/

http://racismoambiental.net.br/2014/05/dom-tomas-balduino-governo-do-para-vendia-terras-no-mapa-por-alceu-castilho/

http://quemtemmedodademocracia.com/2012/09/22/d-tomas-balduino-nossa-reforma-agraria-ainda-e-a-dos-militares-especial-para-o-qtmd/

http://www.brasildefato.com.br/node/9958